Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Eletrônica

Livros eletrônicos atingem qualidade de papel impresso

Redação do Site Inovação Tecnológica - 05/05/2009

Livros eletrônicos atingem qualidade de papel impresso
Os reservatórios de pigmento são mantidos em reservatórios microscópicos ao lado de cada pixel, podendo ser visualizados com a aplicação de uma tensão.
[Imagem: Gamma Dynamics LLC]

O Kindle, da Amazon, foi o primeiro leitor de livros eletrônicos a fazer sucesso comercial em larga escala. Inegavelmente, o poder de mercado da maior livraria online do mundo ajudou na grande aceitação, talvez até em uma proporção maior do que os crescentes avanços na área dos "papéis eletrônicos".

Mas a tecnologia agora poderá dar uma mão não apenas para melhorar o próprio Kindle, que tem uma tela preto e branco, mas também para permitir o lançamento de produtos concorrentes de melhor qualidade.

Imagem eletrofluídica

Engenheiros da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos, desenvolveram uma tecnologia de imagem eletrofluídica que permite que, pela primeira vez, o e-paper alcance a mesma qualidade de imagem que um papel impresso.

A tecnologia, que gera imagens em cores, poderá ser utilizada também para melhorar a qualidade da imagem em telas de telefones celulares e em grandes telas usadas em anúncios comerciais.

"Não há comparação entre esta tecnologia e tudo o que já foi desenvolvido anteriormente," diz o pesquisador Jason Heikenfeld, um dos responsáveis pelo avanço. "Nós estamos à frente por uma larga margem em questões críticas como brilho, saturação de cor e velocidade de geração da imagem."

Tela EFD

Segundo o pesquisador, a nova tecnologia de imagem, batizada de EFD ("ElectroFluidic Display" - tela eletrofluídica), produz pixels coloridos opticamente superiores a todas as tecnologias atuais.

Como a camada ativa da tela tem menos de 15 micrômetros de espessura, os pesquisadores preveem que a tecnologia EFD viabilizará também as telas enroláveis, gerando equipamentos eletrônicos muito mais compactos.

Funcionamento da tela EFD

A tela eletrofluídica contém um reservatório onde é armazenada uma solução aquosa contendo os pigmentos que serão usados para formar os pixels. O reservatório é muito pequeno, ocupando entre 5 e 10% de toda a área da tela, o que mantém virtualmente invisível quando a tela está desligada.

A aplicação de uma tensão elétrica força os pigmentos para fora de seu reservatório e os espalha como uma camada fina por baixo da camada externa da tela. Desta forma, a tela assume cores e brilhos semelhantes aos apresentados por uma impressão colorida em uma revista ou livro.

Quando a tensão é interrompida, o líquido retorna rapidamente ao seu reservatório.

Bibliografia:

Artigo: Electrofluidic displays using Young-Laplace transposition of brilliant pigment dispersions
Autores: J. Heikenfeld, K. Zhou, E. Kreit, B. Raj, S. Yang, B. Sun, A. Milarcik, L. Clapp, R. Schwartz
Revista: Nature Photonics
Data: May 2009
Vol.: 3, 292 - 296 (2009)
DOI: 10.1038/nphoton.2009.68






Outras notícias sobre:
  • Telas e Monitores
  • Imagens 3-D
  • Holografia
  • Biochips

Mais tópicos