Mecânica

Manufatrons serão as estrelas das fábricas do futuro

Manufatrons: Fábricas do Futuro
Manufatron em teste em uma fábrica do setor automotivo.[Imagem: XPRESS Project/Divulgação]

Máquinas com inteligência

Adaptar as linhas de montagem para fabricar produtos de diferentes tamanhos, formas e estilos custa tempo e dinheiro.

Cada máquina em uma fábrica precisa ser programada com instruções específicas - uma espécie de receita de cada produto - para ser capaz de realizar cada tarefa específica da maneira correta.

E o trabalho de toda a linha de produção precisa ser interrompido enquanto as máquinas são reconfiguradas para mudar a forma como as matérias-primas são cortadas, onde os buracos são perfurados ou onde pregar os rebites.

Mas esse jeitão secular de reconfigurar linhas de produção pode estar prestes a mudar.

Um projeto financiado pela União Europeia desenvolveu máquinas para uma linha de montagem capazes de, por assim dizer, criar suas próprias receitas.

"Nosso objetivo é evitar essas receitas e, em seu lugar, colocar inteligência diretamente na própria máquina," disse Michael Peschl, coordenador do projeto Xpress (Flexible Production Experts for Reconfigurable Assembly Technology.

Manufatrons

Manufatrons: Fábricas do Futuro
Manufatron em teste em uma fábrica de aviões. [Imagem: XPRESS Project/Divulgação]

"Em vez de fornecer de fora a informação de configuração para a máquina - como fazer algo com tais e tais configurações - podemos colocar a inteligência diretamente dentro da máquina," garante Peschl.

Poder-se-ia chamar isso de máquinas robotizadas, robôs industriais, ou mesmo de máquinas automatizadas.

Mas, para destacar a capacidade de decisão atribuída a cada equipamento, a equipe do Xpress decidiu batizar sua máquinas inteligentes de manufatrons.

"Os manufatrons recebem informações para fazer um buraco e, com base nessas instruções, a própria máquina decide que tipo de broca usar e a velocidade da broca. Nós descrevemos a tarefa para a máquina, mas é o manufatron que faz tudo daí por diante - ele analisa as informações e escolhe as ferramentas e configurações adequadas," explicou Peschl.

Resultados animadores

Os testes dos protótipos mostraram que o tempo para a configuração completa de uma linha de produção pode ser reduzida em até 50%, enquanto uma reconfiguração pode ser reduzida em até 80%.

"Conseguimos, pela primeira vez, capacitar máquinas para funcionarem recebendo apenas informações sobre a tarefa. Este é realmente um grande avanço," concluiu Peschl.

Segundo ele, o conceito foi avaliado durante o desenvolvimento pelos parceiros do projeto, o que incluiu uma indústria aeroespacial, uma indústria eletroeletrônica e uma indústria automotiva.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas