Robótica

Rato-robô viabiliza estudos de cognição, emoção e autonomia

Rato-robô viabiliza estudos de cognição, emoção e autonomia
Robôs que se baseiem unicamente em uma tecnologia de toque poderão ser utilizados em locais escuros ou tomados por fumaça, por exemplo, onde a visão não funciona.[Imagem: ICEA]

Pesquisadores ingleses construíram um rato robótico capaz de se movimentar e identificar objetos usando seus bigodes, como os ratos de verdade. Enquanto no homem o sentido do tato está concentrado sobretudo nos dedos, nos ratos o tato está virtualmente todo concentrado nos bigodes.

Onde a visão não alcança

Os animais noturnos e aqueles que habitam lugares com pouca luminosidade tendem a usar mais o tato do que a visão para se locomover, encontrar comida e evitar predadores. Os ratos fazem isso usando seus bigodes. Eles são capazes de determinar a posição, o formato e a textura dos objetos fazendo movimentos rápidos, ritmados e precisos com os bigodes.

Os robôs são normalmente projetados para usar um sistema de visão artificial para identificar objetos. Mas robôs que se baseiem unicamente em uma tecnologia de toque poderão ser utilizados em locais escuros ou tomados por fumaça, por exemplo, onde a visão não funciona.

Robôs biomiméticos

"Nosso projeto alcançou um marco importante no desenvolvimento de sensores táteis para máquinas inteligentes. Embora os sensores de toque já sejam empregados em robôs, o uso do toque como principal meio de guiar um robô não tinha apresentado progressos. Ao desenvolver esses robôs biomiméticos, nós não estamos apenas projetando novos dispositivos sensoriais por toque, mas também dando uma contribuição real para o entendimento da biologia do sentido do tato," disse o professor Tony Prescott, um dos membros da equipe multi-institucional.

O próprio professor Prescott é psicólogo e está mais interessado no funcionamento do cérebro humano do que nos próprios robôs. Ele e seus colegas querem entender como o cérebro controla o movimento dos sistemas sensórios e como processa os sinais que recebe desses sistemas.

Cognição, emoção e autonomia - de robôs

O robô-rato, batizado de SCRATCHbot, é parte de um projeto de pesquisas chamado ICEA (Integrating Cognition, Emotion and Autonomy)), cujo principal objetivo é desenvolver sistemas de inteligência artificial biologicamente inspirados.

A tecnologia que movimenta o robô-rato tem potencial para utilização em várias aplicações, incluindo o uso de robôs em áreas subterrâneas, no fundo do mar ou em condições de grandes concentrações de poeira e fumaça, onde a visão fica muito comprometida.

Os sensores e os sistemas de inteligência artificial oriundos da pesquisa também poderão ser utilizados para inspeção tátil na indústria ou em robôs de limpeza, detectando o tipo de piso e otimizando o trabalho de aspiradores automatizados e robôs de limpeza.

Para conhecer um outro projeto de rato-robô, veja Rato-robô apresenta primórdios de comportamento.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas