Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Informática

Internet das Coisas: Sinal do Wi-Fi é reforçado sem novo hardware

Redação do Site Inovação Tecnológica - 06/11/2019

Sinal do Wi-Fi é reforçado para internet das coisas sem novo hardware
"Essa é a coisa mais legal sobre essa tecnologia: tudo é feito em software," diz Phil Lundrigan.
[Imagem: BYU]

Alcance dos sinais Wi-Fi

Que tal ampliar significativamente o alcance da sua rede Wi-Fi sem precisar comprar nenhum equipamento extra para instalar novos dispositivos inteligentes?

Isso é possível graças a um novo protocolo que melhora o alcance do sinal, de olho na instalação de dispositivos da internet das coisas, que deverão ficar espalhados por todos os cantos da casa, na maioria das vezes fora da melhor cobertura do roteador.

O protocolo aumenta a distância que esses aparelhos podem ser instalados a partir de um ponto de acesso Wi-Fi em mais de 60 metros - no melhor teste, os pesquisadores conectaram um equipamento a 67 metros do roteador.

"Essa é a coisa mais legal sobre essa tecnologia: tudo é feito em software. Em teoria, poderíamos instalar isso em praticamente qualquer dispositivo habilitado para Wi-Fi com uma simples atualização de software," disse Phil Lundrigan, professor da Universidade Brigham Young, nos EUA.

Comunicação baseada em ruídos

O novo protocolo, chamado ONPC (On-Off Noise Power Communication), é programado em cima do protocolo Wi-Fi usando o mesmo hardware. Embora o Wi-Fi exija velocidades de pelo menos um megabit por segundo (1 Mbps) para manter um sinal, o protocolo ONPC pode manter um sinal com apenas 1 bit por segundo - um milionésimo da velocidade de dados exigida pelo Wi-Fi.

Para isso, o transmissor envia não apenas os dados, mas também um ruído. O receptor Wi-Fi, por sua vez, é programado para ligar e desligar o sinal em um padrão específico, que pode ser interpretado como 0s e 1s. O roteador Wi-Fi consegue distinguir esse padrão do ruído eletromagnético ao redor (de computadores, tvs, celulares etc.) e, portanto, sabe que o sensor ainda está transmitindo algo, mesmo que os dados não estejam sendo recebidos.

"Se o ponto de acesso (roteador) ouve esse código, ele diz: 'OK, eu sei que o sensor ainda está vivo e tentando me alcançar, está fora de alcance'. É basicamente enviar um bit de informação para dizer que ele está vivo," disse Neal Patwari, da Universidade de Washington.

É muito pouco, mas é suficiente para muitos dispositivos IdC (Internet das Coisas) que simplesmente precisam enviar uma mensagem liga/desliga, como sensores de garagem, monitores de qualidade do ar ou sistemas de irrigação.

Complementar ao Wi-Fi

Os pesquisadores enfatizam que o protocolo ONPC não visa substituir o Wi-Fi ou mesmo os protocolos sem fio de longo alcance, como o LoRa, mas sim para complementar o Wi-Fi. Especificamente, somente quando o sistema detecta que o dispositivo Wi-Fi perdeu sua conexão, é que ele começa a transmitir dados usando o ONPC.

Feita a ressalva, a equipe acredita que a inovação pode tornar o LoRa ainda mais abrangente, ou ser usado em cima de outras tecnologias sem fio.

"Podemos enviar e receber dados, independentemente do que o Wi-Fi esteja fazendo; tudo o que precisamos é a capacidade de transmitir energia e receber medições de ruído," disse Lundrigan. "Poderíamos aplicar isso ao celular ou Bluetooth também.

Bibliografia:

Artigo: On-Off Noise Power Communication
Autores: Philip Lundrigan, Neal Patwari, Sneha K. Kasera
Revista: Proceedings of 25th Annual International Conference on Mobile Computing and Networking
Vol.: 1, Article No. 35






Outras notícias sobre:
  • Internet das Coisas
  • Transmissão de Dados
  • Antenas
  • Armazenamento de Dados

Mais tópicos