Informática

Uma tela que mais se parece com uma pele

Tela que se parece com a pele
A equipe usou uma imagem famosa da National Geographic para mostrar o potencial de sua tela reflexiva fina e flexível.[Imagem: University of Central Florida]

Tecido que mostra imagens

Parece estar garantido que as telas flexíveis logo se tornarão uma realidade prática, tamanha é a diversidade de tecnologias desenvolvidas.

O que parece cada vez mais difícil é prever qual dessas tecnologias desenvolvidas vencerá essa corrida, passando dos laboratórios para as lojas.

Há algumas semanas, um material que muda de cor com um simples toque - sem energia - demonstrou o potencial da geração de "luz física" para a construção de telas flexíveis.

Agora, Daniel Franklin e seus colegas da Universidade Central da Flórida, nos Estados Unidos, adotaram uma abordagem mais parecida com a tecnologia atual, usando cristais líquidos, mas mantendo a técnica reflexiva, que consome menos energia.

A tela resultante é tão fina e flexível que pode ser colada em qualquer substrato, como plástico ou tecido - a equipe está particularmente esperançosa no uso da tecnologia para fabricar "tecidos-tela", comparando sua criação a "telas semelhantes a uma pele", que se pode vestir.

Píxel passivo

Para fabricar as unidades emissoras de luz, uma fina camada de cristal líquido é inserida no meio de uma nanoestrutura metálica em forma de uma caixa de ovos microscópica, que absorve alguns comprimentos de onda de luz e reflete outros. As cores refletidas podem ser controladas pela tensão aplicada ao cristal líquido.

A interação entre as moléculas do cristal líquido e as ondas de plásmons de superfície criadas sobre a superfície metálica nanoestruturada permite a manipulação precisa das cores geradas, criando píxeis altamente controláveis.

Uma tela que mais se parece com uma pele
Esquema do píxel da nova tecnologia de tela. [Imagem: Daniel Franklin et al. - 10.1038/ncomms8337]

Como se baseia na luz refletida, a tela não precisa de uma fonte de luz própria, o que economiza muita energia.

Usos não imaginados

Tecnologias de telas como estas têm potencial para impactar toda a eletrônica atual, incluindo os televisores, computadores e dispositivos móveis. Mas o que realmente se espera são novas categorias de telas e mostradores não viáveis com a tecnologia atual - ou ainda nem sequer imaginadas.

"Sua capa, suas roupas, seus itens de moda - tudo isto poderá mudar. Por que eu preciso de 50 peças no meu guarda-roupa se eu posso mudar a cor e a padronagem de uma roupa quando eu quiser," acena o professor Debashis Chanda, coordenador da equipe.

Bibliografia:

Polarization-independent actively tunable colour generation on imprinted plasmonic surfaces
Daniel Franklin, Yuan Chen, Abraham Vazquez-Guardado, Sushrut Modak, Javaneh Boroumand, Daming Xu, Shin-Tson Wu, Debashis Chanda
Nature Communications
Vol.: 6, Article number: 7337
DOI: 10.1038/ncomms8337




Outras notícias sobre:

    Mais Temas