Espaço

Universo pode estar em bolha que se expande em outra dimensão

Universo pode estar em bolha que se expande em outra dimensão
Pelo novo modelo, nosso Universo estaria galopando em uma bolha expansiva em uma dimensão extra - todo o nosso Universo estaria acomodado no limite dessa bolha em expansão.[Imagem: Suvendu Giri]

Bolha extradimensional

Como têm falhado todas as tentativas experimentais para detectar a energia escura - sem contar a nunca encontrada matéria escura - os teóricos estão se debruçando em novas ideias que possam explicar porque as galáxias giram tão rapidamente sem se esfacelarem e por que o Universo parece estar acelerando sua taxa de expansão.

Astrofísicos da Universidade de Uppsala, na Suécia, publicaram agora um novo modelo para o Universo, um modelo que pode resolver esse enigma.

Souvik Banerjee e seus colegas propõem um conceito estrutural no qual nosso Universo emerge e "surfa" por uma bolha em expansão, bolha esta que estaria em uma dimensão adicional.

Outra dimensão espacial

Uma das esperanças para justificar e explicar a energia escura está na chamada Teoria das Cordas.

De acordo com essa hipótese, toda a matéria consistiria de entidades minúsculas e vibratórias, minúsculas versões de uma corda de violão. Para funcionar, a proposta teoria exige que haja mais dimensões espaciais do que as três a que estamos acostumados.

Ocorre que todos os modelos baseados na Teoria das Cordas feitos para explicar a energia escura têm sido alvos de críticas cada vez mais ferozes, com nenhum deles parecendo ser viável.

Banerjee e seus colegas estão propondo justamente um novo modelo, que inclui a energia escura, e que fundamentalmente estabelece que nosso Universo está "galopando" uma bolha expansiva em uma dimensão extra.

Todo o Universo estaria acomodado no limite dessa bolha em expansão e toda a matéria existente no Universo corresponderia às extremidades das cordas que se estendem para a dimensão extra.

Universo pode estar em bolha que se expande em outra dimensão
Já há algumas ideias sobre como "ver" dimensões extras do espaço e outros físicos já propuseram que a matéria escura seria extradimensional. Os esforços têm-se concentrado em encontrar a quinta dimensão estudando a gravidade. [Imagem: Andrew J. Hanson/Indiana University]

Teorias versus realidade

O modelo também contempla a justificação de por que bolhas expansivas desse tipo viriam a existir, tudo no âmbito da Teoria das Cordas. Ou seja, com base nessa nova proposta, é concebível imaginar que haja mais bolhas do que a nossa, sobre as quais galopem outros universos.

O instrumental usado pela equipe, conhecido como espaço anti-de Sitter, já foi usado antes para propor um universo curvo que destoa da teoria da relatividade e explicar a expansão do Universo sem depender do Big Bang, além de fundamentar a bem mais conhecida teoria do holograma cósmico.

O grande problema com esses modelos e suas visões do Universo é que comprovar sua aderência à realidade parece tão ou mais difícil do que encontrar a matéria e a energia escuras - sem contar que já há outras ideias para explicar a aceleração da expansão do Universo dispensando a energia escura.

Bibliografia:

Emergent de Sitter cosmology from decaying anti-de Sitter space, Phys. Rev. Lett. DOI: 10.1103/PhysRevLett.121.261301
Souvik Banerjee, Ulf Danielsson, Giuseppe Dibitetto, Suvendu Giri, Marjorie Schillo
Physical Review Letters
Vol.: 121, 261301
DOI: 10.1103/PhysRevLett.121.261301




Outras notícias sobre:

    Mais Temas