Plantão

Prêmio bate recorde no número de inscrições

O Prêmio Jovem Cientista deste ano, que teve as inscrições encerradas em 1º de agosto, registrou 346 inscrições, o maior número de candidatos desde sua criação, em 1981. Na categoria Estudantes concorrerão 106 candidatos e 241 pela de Graduados. O recorde anterior era de 311 inscritos na XVII edição, realizada em 2000, que teve como tema "Novas Tecnologias para a Educação". O tema deste ano é "Água - Fonte da Vida".

Os números finais revelam que a Região Sudeste é a mais participativa na categoria Graduados. O Estado de São Paulo é o que apresenta maior número de candidatos: 75 trabalhos foram inscritos. Já na categoria Estudantes, a Região Sul teve mais inscrições que qualquer outra. Santa Catarina lidera, com 40 inscritos, o dobro de representantes de São Paulo.

O Prêmio Jovem Cientista do Futuro não ficou atrás. Até o final do mês de julho foram inscritos 690 trabalhos, maior participação no evento, criado em 1999. Este número ainda deve aumentar, já que as inscrições foram feitas via correio e diariamente são recebidas dezenas de trabalhos.

O julgamento que irá apontar os trabalhos selecionados acontece no início de setembro. O anúncio dos nomes dos vencedores, pelo presidente do CNPq, Erney Camargo, está previsto para o dia 11 de outubro. A entrega da premiação será feita pelo presidente Lula em novembro, no Palácio do Planalto, e contará com a presença de autoridades do meio acadêmico, científico e tecnológico do país O Prêmio Jovem Cientista entrará para a história também por meio das páginas de um livro. O Laboratório de Jornalismo da Universidade de Campinas (Unicamp), com a coordenação do professor Carlos Vogt, vai traçar, por meio de crônicas, uma retrospectiva de todas as edições já realizadas, contando a história dos vencedores. O lançamento está marcado para a cerimônia de entrega da edição deste ano, no Palácio do Planalto.

Parceria entre o CNPq, a Fundação Roberto Marinho, a Gerdau e a Eletrobrás, o Prêmio Jovem Cientista é considerado uma das mais importantes premiações do gênero.

Criado em 1981, o Prêmio Jovem Cientista tem o objetivo de estimular a pesquisa, revelar talentos e investir em estudantes e profissionais, que procuram alternativas para problemas brasileiros.

Em suas 18 edições (com breve interrupção por dois anos - em 1986 e 87) foram 1.875 novas idéias inscritas para concorrer ao Prêmio Jovem Cientista. A participação de cientistas e estudantes vem aumentando a cada ano. Os temas são sempre inéditos - ligados à saúde, agricultura, qualidade dos alimentos e da água, energia, telecomunicações, indústria civil, reciclagem de rejeitos industriais e recursos humanos.

Em 1999, esses temas passaram a estimular, também, a criatividade e o interesse científico entre os estudantes do ensino médio, com a criação do Prêmio Jovem Cientista do Futuro (Prêmio Jovem Cientista do Futuro), que já registrou 725 trabalhos inscritos em suas três edições. O Prêmio apresenta a pesquisa como uma fonte de aprendizagem e produção de conhecimento e tem despertado o interesse desses jovens na carreira científica e tecnológica.

Para que seja mantido o princípio da premiação, o tema adotado pelo Prêmio Jovem Cientista do Futuro sempre é o mesmo do Prêmio Jovem Cientista -com um subtema, caso haja necessidade de adequação à grade curricular do nível médio. Isto ocorreu já na primeira edição do Prêmio Jovem Cientista do Futuro, quando o tema do Prêmio Jovem Cientista foi Saúde da População, com o subtema Controle da Infecção Hospitalar, para o Prêmio Jovem Cientista, e Contaminação Pela Água, para o Prêmio Jovem Cientista do Futuro.





Outras notícias sobre:

Mais Temas