Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Plantão

Satélite de manutenção acopla-se para salvar outro que seria abandonado

Com informações da BBC - 28/02/2020

Satélite de manutenção acopla-se para salvar outro que seria abandonado
A acoplagem entre o MEV-1, de manutenção, e o IS-901, ocorreu a mais de 36 mil quilômetros de altitude.
[Imagem: Northrop Grumman]

Consertos espaciais

Um satélite de manutenção acoplou-se com sucesso a um outro satélite de comunicações em órbita, prestes a ser abandonado porque está quase sem combustível, embora toda a sua parte eletrônica continue em pleno funcionamento.

A unidade auxiliar agora se encarregará de todas as funções de manobra do primeiro, que estenderá o período de vida do satélite Intelsat-901 por mais cinco anos - ele já opera há 19 anos, transmitindo sinais de televisão.

Já houve várias tentativas e experiências desse tipo, mas esta é a primeira vez que a manobra tem sucesso com um satélite comercial funcional.

Essa demonstração promete iniciar uma nova e próspera onda de negócios na indústria espacial, recuperando e reabastecendo satélites antigos, evitando que eles se tornem sucata e se virem precocemente outro pedaço de lixo espacial.

Satélite de manutenção acopla-se para salvar outro que seria abandonado
Uma equipe de engenheiros ensaiou exaustivamente o acoplamento dos satélites em laboratório.
[Imagem: Northrop Grumman]

Veículo de Extensão de Missão

A Northrop Grumman, responsável pelo satélite que foi acoplado, o Veículo de Extensão de Missão 1 (MEV-1 na sigla em inglês), afirmou que se trata da primeira vez que dois satélites comerciais se unem dessa maneira a uma altitude de mais de 36 mil quilômetros, na órbita geoestacionária.

O MEV-1 agora empurrará o IS-901 até uma posição equatorial a 27,5 graus oeste, para que ele possa reativar as tarefas de telecomunicação entre o fim de março e o início de abril deste ano.

Quando a missão estendida do IS-901 chegar ao fim, o MEV-1 levará o satélite até uma "órbita-cemitério" e então se dirigirá para outro satélite que esteja ficando sem combustível e que necessite do mesmo tipo de assistência.

A Northrop Grumman afirmou que planeja expandir esse serviço básico oferecido por meio do MEV-1 para poder incluir veículos capazes de fazer reparos e montagens em órbita. A empresa já está trabalhando em sistemas que incluirão não apenas sondas de acoplamento simples, mas também braços robóticos para pegar satélites.

Outra opção que está sendo desenvolvida são as cápsulas de combustível, que poderão ser conectadas aos satélites que precisam de abastecimento.

A NASA já realiza experimentos há alguns anos, na Estação Espacial Internacional, com um posto de combustível espacial, desenvolvendo sistemas para reabastecimento de naves e satélites em órbita.







Outras notícias sobre:
  • Satélites Artificiais
  • Sondas Espaciais
  • Foguetes
  • Exploração Espacial

Mais tópicos