Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Espaço

Descoberto corpo celeste mais distante no Sistema Solar

Redação do Site Inovação Tecnológica - 18/12/2018

Descoberto corpo celeste mais distante no Sistema Solar
Concepção artística do 2018 VG18 - o Sol aparece à distância.
[Imagem: Illustration by Roberto Molar Candanosa is courtesy of the Carnegie Institution for Science.]

Objeto mais distante no Sistema Solar

Astrônomos descobriram o corpo celeste mais distante já observado em nosso Sistema Solar.

É o primeiro objeto do Sistema Solar detectado a uma distância maior do que 100 vezes a distância entre a Terra e o Sol - essa distância é conhecida como unidade astronômica (ua).

Catalogado provisoriamente como 2018 VG18, e apelidado de "Farout" (muito longe, em tradução livre) por sua localização extremamente distante, o provavelmente planeta-anão está localizado a cerca de 120 unidades astronômicas do Sol.

Seu brilho sugere que ele tem cerca de 500 km de diâmetro, o que provavelmente lhe dá uma forma esférica, o que o tornaria um planeta anão. Ele tem um tom rosado, uma cor geralmente associada a objetos ricos em gelo.

Como o 2018 VG18 está tão distante, ele orbita muito lentamente, provavelmente levando mais de 1.000 anos para fazer uma volta completa ao redor do Sol. Serão necessárias observações de seguimento por vários anos para que sua órbita seja determinada com um mínimo de precisão.

Descoberto corpo celeste mais distante no Sistema Solar
Comparação das distância dos planetas principais e dos objetos mais distantes no Sistema Solar.
[Imagem: Illustration by Roberto Molar Candanosa and Scott S. Sheppard is courtesy of the Carnegie Institution for Science.]

Planetas anões

O segundo mais distante objeto do Sistema Solar já observado é Eris, a cerca de 96 ua. Plutão está atualmente em cerca de 34 ua, tornando o 2018 VG18 mais de três vezes e meia mais distante do que o mais famoso planeta anão do Sistema Solar - Ceres, Haumea e Makemake também são considerados planetas anões.

A descoberta foi feita por Scott Sheppard (Fundação Carnegie), David Tholen (Universidade do Havaí) e Chad Trujillo (Universidade Nordeste do Arizona). As imagens da descoberta foram capturadas com o telescópio japonês Subaru, de 8 metros de diâmetro, localizado no topo do Mauna Kea, no Havaí, em 10 de novembro de 2018.

O 2018 VG18 foi descoberto como parte da busca contínua da equipe por objetos do Sistema Solar extremamente distantes, incluindo o hipotético Planeta X, às vezes também chamado de Planeta 9.

Em outubro, o mesmo grupo anunciou a descoberta de outro objeto do Sistema Solar distante, chamado 2015 TG387 e apelidado de "Duende" (Goblin), porque foi visto pela primeira vez perto do Halloween. O Goblin foi descoberto a cerca de 80 ua e tem uma órbita que é consistente com a influência de um planeta tipo super-terra, ainda desconhecido.

A existência de um nono planeta maior na fronteira do Sistema Solar, procurado há décadas, foi reivindicada por essa mesma equipe em 2014, quando eles descobriram o 2012 VP113, apelidado de Biden, que atualmente está a uma distância de cerca e 84 ua.







Outras notícias sobre:
  • Corpos Celestes
  • Telescópios
  • Universo e Cosmologia
  • Exploração Espacial

Mais tópicos