Logotipo do Site Inovação Tecnológica





Robótica

Microrrobôs erguem até 100 vezes seu próprio peso

Com informações da New Scientist - 29/04/2015

Microrrobôs erguem até 100 vezes seu próprio peso

[Imagem: BDML/Stanford]

Microrrebocadores

Engenheiros do Laboratório de Biomimética e Manipulação Habilidosa da Universidade de Stanford ficaram famosos no ano passado quando apresentaram um homem-lagartixa que sobe pelas paredes de verdade.

Agora eles apresentaram uma versão miniaturizada da mesma tecnologia, que foi utilizada para criar pequenos robôs capazes de transportar coisas que pesam mais de 100 vezes o peso do próprio robô.

O segredo de tamanha força está nos pés dos robôs, feitos com um adesivo seco inspirado nas patas das lagartixas.

Aparentemente planos, os pés são recobertos por minúsculos "espinhos" de borracha, que grudam firmemente na superfície - as demonstrações foram feitas em superfícies de vidro, cuja lisura aumenta a pegada de cada pé.

São várias versões de microrrobôs, chamados microrrebocadores.

Microrrobôs erguem até 100 vezes seu próprio peso

[Imagem: BDML/Stanford]

Biomimética

Os microrrobôs usam a biomimética também para se mover. Neste caso, porém, a inspiração veio das lagartas: cada pé avança para a frente, enquanto o anterior fica firme no lugar para suportar a carga.

Para pisar, o robô pressiona o pé para baixo, fazendo com que os espinhos de borracha dobrem-se, aumentando a área superficial e a força da adesão. Para andar, cada pé é movido ligeiramente para trás, fazendo os picos endireitarem-se, permitindo que o pé solte-se facilmente.

Tudo isso se soma para dar aos robôs uma capacidade de carregar pesos de tirar o fôlego.

Por exemplo, um dos microrrobôs, que pesa apenas 9 gramas, pode subir pela parede carregando mais de um quilograma - na demonstração, o microrrobô ergueu dois robôs-lagartixa construídos anteriormente pela equipe.

Microrrobôs erguem até 100 vezes seu próprio peso

[Imagem: BDML/Stanford]

Arrastar uma baleia azul

O peso-pesado da turma é o µTug (microrrebocador).

Embora pese apenas 12 gramas, o robô arrasta cargas 2.000 vezes mais pesadas do que ele próprio.

"É o mesmo que você arrastar uma baleia azul," comparou David Christensen, membro da equipe.

Microrrobôs erguem até 100 vezes seu próprio peso
Esquema de construção dos microrrebocadores.
[Imagem: BDML/Stanford]

Fábricas e emergências

Segundo Christensen, no futuro máquinas desse tipo poderiam ser úteis para transportar coisas pesadas em fábricas ou em canteiros de obras.

Elas também poderiam ser úteis em situações de emergência, por exemplo, lançando e puxando uma escada de corda para pessoas presas em acidentes.

Bibliografia:

Artigo: µTugs: Enabling Microrobots to Deliver Macro Forces with Controllable Adhesives
Autores: David Christensen, Elliot Wright Hawkes, Srinivasan Suresh, Karen Ladenheim, Mark Cutkosky
Revista: IEEE International Conference on Robotics and Automation (ICRA 2015)






Outras notícias sobre:
  • Micro e Nano Robôs
  • Adesivos
  • Robôs
  • Músculos Artificiais

Mais tópicos