Plantão

Procura-se empresas interessadas em inovações originais e ousadas

Originalidade e ousadia

A FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) está procurando empresas para a formação conjunta de Centros de Pesquisa em Engenharia em Manufatura Avançada.

A chamada inclui áreas como megadados (big data), inteligência artificial, digitalização, virtualização e sensores.

Os centros de pesquisa ficarão sediados em universidades ou institutos de pesquisa do estado de São Paulo.

As empresas interessadas têm prazo até 11 de fevereiro para apresentar uma primeira versão simplificada de um plano global de pesquisa que seja "original, ousado e competitivo, apontando objetivos estratégicos e metas pretendidos".

O edital e o modelo do documento de manifestação de interesse estão disponíveis em www.fapesp.br/10988.

Manufatura Avançada

Também conhecida como indústria 4.0, a Manufatura Avançada envolve um conjunto grande de tecnologias de fronteira que podem garantir mais competitividade para a indústria e os serviços, incluindo o mercado financeiro.

Algumas dessas tecnologias - como internet das coisas, computação em nuvem, impressão em 3D, novos materiais, robótica, entre outras - já estão sendo desenvolvidas por um número crescente startups com apoio da FAPESP no âmbito do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE). Com o novo edital, a expectativa da entidade é estender esse apoio a empresas ou consórcios de empresas com demandas por essas novas tecnologias.

"Na apresentação das propostas, espera-se que os interessados definam uma agenda preliminar de desafios de pesquisa e os benefícios dos resultados para a empresa. Apresentadas as propostas, a FAPESP debaterá a oportunidade de constituição de Centros de Pesquisa em Engenharia em Manufatura Avançada com cada um dos proponentes", disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP.

Centros de Pesquisa em Engenharia

Já existem cinco Centros de Pesquisa em Engenharia (CPEs) em plena operação: dois em parceria com a GSK, com sedes na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e no Instituto Butantan; um com a Shell, instalado na Escola Politécnica da USP; um com a Peugeot Citroën, na Unicamp; e outro com a Natura, na USP.

Novos Centros estão em fase final de contratação, a exemplo dos Centros de Pesquisa em Novas Energias, em parceria com a Shell, com a Embrapa em mudanças climáticas, com a Statoil em gerenciamento de reservatórios e produção de petróleo e gás, com a Usina São Martinho em medidas sustentáveis para o controle de doenças que afetam a cana-de-açúcar e com a Koppert no tema controle biológico de pragas.

As instituições de pesquisa que sediarão os CPEs em Manufatura Avançada serão selecionadas por meio de edital conjunto, a ser lançado pela FAPESP e pelas empresas parceiras, depois de terem sido selecionadas as propostas e áreas de pesquisa que nortearão as investigações dos Centros.

Os CPEs em Manufatura Avançada terão um quarto dos recursos aportados pela FAPESP, outro um quarto será investimento da empresa e o restante corresponde à contrapartida econômica das instituições de pesquisa (salário de pesquisadores e pessoal de apoio, infraestrutura, instalações etc.).

Os direitos e obrigações relativos à propriedade intelectual associada às atividades de pesquisa deverão ser previamente acordados entre as empresas e instituições de pesquisa que integram os CPEs.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas