Espaço

Sonda espacial Rosetta deverá pousar em um cometa

Sonda espacial Rosetta deverá pousar em um cometa
O nome Rosetta vem da famosa Pedra de Rosetta, a partir da qual se conseguiu decifrar os hieróglifos egípcios, cerca de 200 anos atrás. [Imagem: ESA]

O projeto Rosetta, da Agência Espacial Européia, está pronto para iniciar sua longa jornada, que deverá durar mais de 10 anos. O lançamento, a bordo de um foguete Ariane-5, deverá ocorrer no dia 26 de Fevereiro. Esta será a primeira missão da história a orbitar e pousar em um cometa.

Problemas no foguete Ariane-5 causaram o adiamento da missão em um ano. Esse tempo deixou o cometa alvo da missão, o Wirtanen, fora do alcance. Como novo alvo foi escolhido o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, que deverá ser alcançado pela Rosetta em 2014.

O nome Rosetta vem da famosa Pedra de Rosetta, a partir da qual se conseguiu decifrar os hieróglifos egípcios, cerca de 200 anos atrás. Da mesma forma, os cientistas esperam que a sonda Rosetta consiga lançar uma luz sobre os mistérios e a origem do nosso Sistema Solar.

Os cometas são de grande interesse para os cientistas, já que sua composição reflete como o Sistema Solar era em seu nascimento, cerca de 4,6 bilhões de anos atrás. Ao pousar no cometa Churyumov-Gerasimenko, a Rosetta deverá coletar informações essenciais para o entendimento da origem e da evolução do Sistema Solar.

Mas ela deverá também ajudar a descobrir se os cometas contribuíram para o início da vida na Terra. Os cometas carregam complexas moléculas orgânicas que, chegando ao nosso planeta, podem ter desempenhado um papel importante na origem da vida.

A sonda Rosetta consiste de uma caixa de três toneladas e três metros de altura, com painéis solares medindo 14 metros. Na caixa estão um módulo de órbita e outro de pouso. O módulo que deverá pousar no cometa mede um metro de comprimento por 80 centímetros de altura. A sonda leva 21 experimentos no total, sendo 10 no módulo de pouso e 11 no módulo orbital.

Para atingir o cometa Churyumov-Gerasimenko, a sonda Rosetta deverá se distanciar do Sol à mesma distância que Júpiter, o que não seria possível de se fazer diretamente. Em seu caminho, ela ganhará velocidade utilizando a gravidade de quatro "rasantes" em planetas: um sobre Marte, em 2007, e três sobre a própria Terra, em 2005, 2007 e 2009.





Outras notícias sobre:

    Mais Temas